“Falar que ela salvou minha vida não é exagero. Ela é uma profissional incrível, amorosa, carinhosa e uma excelente profissional.”

T. (Paciente)

“Paula é uma excelente profissional. Atenciosa, amorosa e foi muito acolhedora. Ela é maravilhosa.”

G. (Paciente)

“‘É tão importante trocar experiências com pessoas que estão passando pelas mesmas questões, podendo assim mostrar suas inseguranças. Parabéns pela iniciativa!”

M. (participante de um grupo de apoio para mães)

“A melhor coisa que encontrei em meio a esse turbilhão de emoções e novidades foi o grupo de mamães. Com toda certeza foi a melhor experiência.”

K. (Participante de um grupo de apoio para mães)

“Minha experiência com a Paula foi com certeza a mais eficiente e acolhedora desses 20 anos. Me encontrava em um período difícil, fim da adolescência junto com uma gravidez inesperada e ela me ajudou a achar um eixo no meio dessa turbulência. Sempre foram conversas leves, abriu muito espaço e fez de forma rápida com que eu me conhecesse e chegasse a um resultado. Quando comecei a ter muitos enjoos devido à gravidez, ficou complicado ir até o local onde fazíamos as sessões e então ela se dispôs a conversar por vídeo chamada. Isso me marcou e me tocou muito porque eu me senti abraçada num momento muito difícil. Hoje, curso psicologia e a Paula com certeza está entre minhas inspirações, me marcou e tenho certeza que ainda marcará muitas pessoas.”

B. (Paciente)

“Ouvir e poder falar com outras mães me trouxe grande alívio. Fazer parte de um grupo de mães me ajudou a respeitar e ir em direção à minha saúde mental e física. Ajudou a me olhar de outros ângulos e por outros olhares. O grupo é um encontro de amor, acolhimento, respeito e empatia.”

P. (Participante de um grupo de apoio para mães)

“Faço terapia com a Paula há um ano e pouco devido à síndrome do pânico e ansiedade. A terapia tem me ajudado muito nas crises e me ajuda muito no sentido de me conhecer melhor.”

R. (Paciente)

“O grupo me ajudou em vários sentidos. Primeiro que parei para me escutar. Vim de um diagnóstico de depressão pós-parto e foi bom me conectar com outras mães que encontravam dificuldades nesse tão novo maternar. Seja com o parceiro, com as novas responsabilidades, desabafar e escutar experiências parecidas somam muito. Sempre digo que a maternidade é solitária e o grupo me fez ver que tudo bem ter me sentido daquele jeito naquele período que eu vivia…eu não era uma mãe ruim por isso…agradeço ao grupo e à Paula pela oportunidade.”

S. (Participante de um grupo de mães no puerpério)