O desgaste profissional é um problema que vem crescendo a cada dia e gerando preocupação na sociedade pois está diretamente ligado ao adoecimento físico e psíquico do trabalhador.

Há inúmeras pesquisas que mostram que este crescimento está relacionado, entre outros fatores, a era tecnológica que estamos vivendo. Hoje em dia não existe mais fronteira entre trabalho e vida pessoal. Estamos o tempo todo conectados ao trabalho seja pelo computador, pelo smartphone ou pelo tablet.

É comum se pensar que o desgaste profissional ocorre em decorrência da elevada carga horária de trabalho, mas na maior parte das vezes ele é consequência da carga emocional que ele está gerando, ou seja, a intensidade de estresse e sofrimento envolvidos neste trabalho. Alguns exemplos são: vivenciar uma experiência de assédio moral, estar com dificuldade ou não conseguir resolver uma determinada tarefa, estar com um problema de relacionamento na equipe, ter vivenciado um evento humilhante ou ter um trabalho que exija um estado de estar “sempre alerta” mesmo nos períodos de folga.

O primeiro indício de um desgaste profissional é quando se começa a sentir raiva do trabalho, quando se perde o prazer nas atividades que gostava de fazer anteriormente. Tudo começa a incomodar.

Muitas vezes a pessoa passa a sentir que não pertence mais àquela equipe, não concorda mais com seu estilo de funcionamento. Mesmo que todos estejam desgastados e e haja um desequilíbrio geral, há a sensação que tudo está funcionando bem e somente ela que se sente mal.

Além da insatisfação profissional, costuma ocorrer um desgaste nas relações pessoais no trabalho e familiares, pois há um mal estar constante e muitas vezes a pessoa entra em um condição evitativa, se afastando de pessoas e situação que acredita que possam lhe gerar mal estar.

O ambiente de trabalho pode ser um grande motivador ou inibidor de um desgaste profissional. Um local que valoriza o trabalho em equipe, apoio mutuo, liderança democrática e que estimule o compartilhamento de responsabilidades, colaboração e confiança tem menos chances de apresentar trabalhadores desgastados. Enquanto ambientes com liderança hieráquica e que estimule a competitividade podem levar um ou mais membros da equipe ao adoecimento.

Em casos mais graves, além de doenças físicas, o desgaste profissional intenso pode desencadear transtornos de humor, como a depressão e ansiedade, como o TOC, TEPT e fobia social.

É importante ficar atento a alguns sintomas típicos do desgaste profissional:

  • Negatividade e dificuldade de concentração
  • Alterações repentinas de humor
  • Isolamento
  • Cansaço excessivo fisico e mental
  • Insônia
  • Alteração no apetite e problemas gastrointestinais
  • Dores de cabeça frequentes
  • Sentimento de derrota e desesperança
  • Fadiga, pressão alta e dores musculares
  • Sentimentos de fracasso e insegurança

Paula Morano
Psicóloga Perinatal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: